Carbono Zero FAETEC

A Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) se tornou a primeira escola técnica do Brasil neutra em carbono. A instituição recebeu o título por ter desenvolvido, no campus de Quintino da fundação, o projeto socioambiental ‘Faetec Neutra em Carbono’, de combate ao aquecimento global. A certificação foi concedida na sexta-feira, 10, pela Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) Prima Mata Atlântica, reconhecida nacionalmente com oito anos de existência.

Entre as ações para neutralizar a emissão de gás carbônico, estão sendo plantadas 2.600 mudas de plantas nativas da Mata Atlântica no campus da Faetec, número necessário para neutralizar a emissão de carbono da unidade, que é de 520 toneladas por ano. No cálculo da emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) entram itens como energia elétrica, gás combustível, resíduos orgânicos dos restaurantes, frota de automóveis da Fundação, transporte aéreo. Por dia, chegam a circular 15 mil pessoas no campus da Faetec em Quintino, entre alunos, servidores, prestadores de serviços e comunidade do entorno.

– O projeto é pioneiro e deverá ser estendido para outras unidades da Rede, como Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio, e em municípios como Niterói e Campos dos Goytacazes. É fundamental para uma instituição de grande porte como a Faetec abraçar e investir na campanha contra o aquecimento global. Estamos atentos a isso – afirma o presidente da Faetec, Celso Pansera.

O Selo Prima Mudanças Climáticas é validado pela REBIA – Rede Brasileira de Informação Ambiental, pelo GBV – Grupo Brasil Verde e pelo Projeto BECE – Bolsa Brasileira de Commoditties Ambientais e é constantemente monitorado por uma importante rede de comunicação ambiental. O respaldo internacional está a cargo da OCRE – Associação para a Valorização do Ambiente, Cultura, Patrimônio e Lazer, sediada em Castelo de Vide, Portugal e pelo SIMAAS – Sistema de Integração Municipal América Área Sul, que envolve diversos países latino-americanos.

 

Compartilhe:

top